Do outro lado da mesa… Um brinde ao materno!

Do outro lado da mesa… Um brinde ao materno!

Por Renata Lela – Psicóloga – CRP 06/68519

 

Não me considero experiente o suficiente com a questão da maternidade para falar sobre o tema, mas me vejo do outro lado da mesa, literalmente, e me vejo há 16 anos, acolhendo, orientando, confortando e traçando caminhos com as muitas mães que a vida colocou em minha jornada… As que passaram e as que ainda virão.

Compartilho do choro, do desespero, da negação, da aceitação e da dor de, muitas vezes, não conseguirem cumprir a expectativa que a vida coloca sobre elas: a de serem perfeitas, de nutrirem pelos seus filhos um amor incondicional, de não estarem dando conta sozinhas, de buscarem alguém para lhes dizer o que é melhor para um ser que dividiu com ela o dia-a-dia, desde as primeiras células, desde o primeiro choro, desde o primeiro banho, o primeiro olhar.

Tento não julgar, mas sei que não é assim que elas percebem em muitas vezes. Tento simplesmente mostrar que mães não são seres sábios que dominam todas as técnicas, que conhecem tudo sobre educação, disciplina e limites, e que filhos não vem com manual.

Procuro acolher, mostrando que a perfeição não existe, que o materno, não envolve só amor (e há quem diga que ele é inato e incondicional). Que maternar também envolve sentir raiva, também envolve querer sumir às vezes, também envolve pensar “o que foi que eu fiz?” “quando vou sentir amor por esse serzinho e quando vou conseguir ter um tempo para mim de novo?” “quando vou poder dormir com a certeza de que está tudo bem?”

Talvez nunca mais! Porque a maternidade é para sempre, ela transforma, reintegra e principalmente, coloca na frente dessas mães, os seres e as estrelinhas que serão uma escola e tanto de aprendizado para elas.

Do outro lado da mesa, vejo que eles escolhem quem pode guiá-los, entendê-los e com quem podem aprender e ensinar, eles escolhem quem serão os parceiros nessa jornada de aprendizado que é a vida.

E, como não podia deixar de ser, em todo aprendizado existem erros, sentimentos e emoções que não são agradáveis de sentir, dor, choro, luta. Mas também existe muito amor, muita energia boa, muito afeto, muito vínculo, muita troca positiva.

E para mim, que estou sempre do outro lado da mesa, é nisso que consiste a experiência do materno… Em se reinventar, se permitir aprender, espalhar para mais alguém um pedaço da gente para que falem a nosso respeito com amor, para que esses serem levem para o mundo através das atitudes deles afeto, respeito, paz e energias boas (algo para mim que faz muita falta no mundo atual). A maternidade consiste na imperfeição dos erros, no enfrentamento dos desafios, conseguir, apesar do sono, do cansaço, da dor, da raiva e de tudo o mais que vier, amar e construir em conjunto com a sociedade e com outros membros da família, cidadãos do bem, que consigam deixar para o mundo o que de bom deixarmos neles e nesse quesito e por isso, penso que a maternidade seja muito mais que gerar e seja muito mais amplo que parir ou amamentar.

Um brinde à maternidade e a todas as infinitas possibilidades que ela reserva!! Um brinde aos filhos, pois sem eles não existiriam as mães! Um brinde a todas as mães… imperfeitas, incertas, indecisas, mas acima de tudo humanas e com corações cheios de amor, tentando sempre acertar!

E por aqui, vou continuar do outro lado da mesa, insone em alguns momentos, pensando no melhor para tantas mães, em como dizer algo ou acolher, com o desejo de que elas me compreendam, me perdoem se sentirem julgamentos (porque tem uma grande chance de serem falhos) e que possamos aprender juntas e com a certeza de que elas me ajudam a compreender melhor a imperfeição da minha mãe, que hoje, 39 anos depois, ainda está do meu lado, ainda me ensina, me guia e diz ela que aprende e sempre aprendeu muito comigo! (quando no fundo penso que sou eu que sempre aprendi mais com ela), que é meu porto seguro e que fez de mim muito do que sou hoje!

Um brinde a você, mãe! Que a jornada da vida nos aproxime sempre mais e que nos conserve sempre com o coração aberto para as trocas e o amor! Sou muito grata a você por tudo, meu amor eterno!

E finalizo, deixando meu carinho e minha gratidão a todas as mães que com amor e dedicação deixam para o mundo nossa futura geração. Nosso futuro caminho. E que ele seja de paz e amor. Sempre!