A importância da participação das crianças nas tarefas domésticas.

A importância da participação das crianças nas tarefas domésticas.

Por Isa Maria de Souza Fernandes Ferrari – Psicóloga com pós-graduação em desenvolvimento da criança e do adolescente – CRP 06/122337

 

Quem nunca viu uma criança pequena querendo imitar os pais e ajudá-los na realização de uma tarefa doméstica? Essa cena costuma ser comum na primeira infância e muitas vezes esta proatividade não é estimulada devido à pouca coordenação motora dos pequenos, sendo comum ouvir adultos dizendo “não deixo, porque mais atrapalham do que ajudam”. Estes mesmos adultos alguns anos depois reclamam que seus filhos não colaboram com as tarefas domésticas e não valorizam o trabalho dos pais de organizar a casa e preparar a comida. Ou se realizam as tarefas domésticas, as fazem de modo “desleixado”.

Pois bem, o segredo está na paciência (dos adultos!), no bom humor e dedicação ao treino das habilidades necessárias para a realização de cada tarefa, muitas reclamações poderiam ser poupadas com isso. O tempo “perdido” deixando que uma criança pequena participe da rotina de organização da casa, pode se transformar em horas a menos de discussões com um adolescente que não quer/não sabe realizar as tarefas domésticas.

Ninguém nasce sabendo varrer a casa, dar comida ao cachorro ou lavar os pratos, para cada uma dessas atividade é necessário conhecimento, desenvolvimento da coordenação motora, atenção aos detalhes, autonomia, entre outras coisas. Por isso, antes de cobrar, tenha certeza que seu filho ou filha teve tempo o suficiente para aprender a realizar as tarefas solicitadas, que elas são compatíveis com a idade da criança e que você se dedicou o suficiente para ensiná-lo de maneira positiva e paciente.

Lembre-se aprendemos melhor com bom-humor, paciência, reconhecimento e incentivo, do que com gritos, cobranças e críticas.Deixe o perfeccionismo e a pressa de lado e aproveite este momento de aprendizado e convívio com seu filho.

A colaboração nas tarefas de casa proporciona muito mais do que limpeza e organização, ela permite o desenvolvimento de habilidades de vida, sensação de pertencimento, responsabilidade, empatia, atenção, coordenação motora, colaboração, trabalho em grupo, persistência, paciência, realização, planejamento, valorização das tarefas domésticas realizadas por outros, etc.

Muito importante também é a adequação dos materiais utilizados e da tarefa solicitada, com a idade e tamanho da criança. Uma criança pequena terá dificuldade para manejar uma vassoura feita para adultos, mas pode divertir-se e ter sucesso manejando uma vassoura feita para crianças.

Abaixo seguem algumas sugestões de tarefas para determinadas faixas etárias, mas como cada caso é um caso, decidam em família as tarefas mais adequadas para cada criança (IMPORTANTE! Durante a infância é sempre necessária a supervisão de um adulto!).

2 – 3 anos: tarefas simples e mais rápidas, como guardar os brinquedos em um baú, colocar a roupa no cesto de roupa suja, guardar seus sapatos, guardar pequenas compras no armário ou geladeira.

4 – 5 anos: ajudar a por e tirar a mesa, ajudar a retirar as compras das sacolas e guardá-las, dar comida para animais, regar plantas, limpar líquidos ou alimentos derramados com um pano, ajudar a arrumar a própria mochila para a escola.

6 – 8 anos: preparar lanches simples, arrumar a cama, ajudar a arrumar o próprio quarto, tirar o pó de algumas superfícies, retirar o lixo, ajudar a recolher ou estender a roupa, varrer.

9 – 12 anos: participar do preparo de alguns alimentos, fazer a lista de compras, organizar objetos, trocar a roupa de cama, limpar o quintal, lavar a louça.

 

Outra dica é deixar que as crianças escolham a tarefa, entre algumas opções, e o tempo para realizá-las, assim como permitir que variem de tarefas, o que pode facilitar a participação. A colaboração com as tarefas domésticas e a participação da rotina de arrumação da casa pode ser benéfica para todos.